A argamassa polimérica surgiu nos Estados Unidos na década de 80 e chegou no Brasil em meados de 2011. Mas, se popularizou apenas em 2017 com a publicação da NBR 16590 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que normatizou o uso de compostos poliméricos nas obras. Com a normatização as empresas fabricantes começaram a seguir um série de critérios e requisitos, garantido aos profissionais da construção civil maior segurança ao obter e aplicar esse tipo de produto.

O segmento da construção civil está sempre investindo em novas tecnologias e no desenvolvimento de materiais que garantam mais qualidade e maior durabilidade nas obras, principalmente aqueles que oferecem soluções mais viáveis e que possuem como foco a sustentabilidade.

Alguns produtos como a argamassa polimérica, por exemplo, atendem esses requisitos e acabam otimizando as tarefas dentro do canteiro de obras. Como consequência diminuem o desperdício, reduzem a necessidade de contratação de mão de obra e aumentam a produtividade se comparada com a utilização da argamassa convencional.

Argamassa polimérica, o que é?

Essa nova solução construtiva consistente em um produto tecnologicamente inovador que foi desenvolvido para substituir a argamassa convencional tanto no assentamento de tijolos como no assentamento de blocos. É utilizada principalmente na alvenaria de vedação, mas também é utilizada em revestimentos e pisos.

Argamassa polimérica, o que é?

Na sua composição são utilizadas resinas sintéticas, minerais e aditivos espessantes e estabilizantes. Todos esses componentes juntos formam um revestimento durável, impermeabilizante e de grande resistência. É um produto comercializado em estado pastoso e que já vem pronto para o uso.

Como ela funciona e onde pode ser aplicada?

A argamassa polimérica é ideal para assentamento de tijolos cerâmicos, blocos cerâmicos, blocos de concretos e outros tipos de tijolos e blocos. Mas, também é bastante utilizada para alvenarias de vedação vertical tanto de áreas internas quanto externas.

Esse produto não pode ser utilizado para erguer elementos estruturais, mas pode ser usado como revestimento de paredes, tetos, azulejos, pisos e em em pequenos reparos ou reformas em construções de grande ou pequeno porte, residenciais, industriais e galpões.

Diferentemente das argamassas convencionais, a argamassa polimérica já vem pronta para o uso o que acaba influenciando diretamente nos custos da obra, pois gera maior economia com mão de obra visto que os profissionais não precisarão preparar o produto com água e areia para utilização.

A aplicação do produto dependerá bastante do tipo de bloco ou tijolo que será utilizado, mas pode ser feita diretamente da embalagem com a utilização de uma pistola específica ou por meio de um equipamento pneumático que garante mais agilidade e praticidade na aplicação.

Quais são as vantagens de utilizá-la?

Considerando praticidade e economia, a argamassa polimérica traz uma série de benefícios para a obra. Como é um produto que já vem pronto para o uso não é necessário perder tempo com a preparação, isso gera uma economia direta nos gastos com mão de obra e acaba proporcionando um aumento de produtividade em pelo menos 50%.

Quais são as vantagens de utilizar a argamassa polimérica?

Além da praticidade e agilidade na aplicação, o material vem ganhando popularidade no mercado devido ao seu rendimento.

Essa é uma economia que reflete tanto na redução de desperdícios, quanto na logística do material visto que não será necessário espaço para armazenamento e utilização de itens como carrinho de mão, betoneira, energia elétrica e água que antes eram necessários para o preparo. A utilização da argamassa polimérica também proporciona uma obra mais organizada e limpa otimizando assim o tempo de construção.

É realmente um material sustentável?

Avaliando todas as vantagens que já citamos acima, fica claro os motivos pela qual a argamassa polimérica vem se tornando popular e ganhando espaço no mercado. Mas, há outro fator importantíssimo e que deve ser levado em consideração, é a questão da sustentabilidade.

A argamassa convencional tem como componentes principais cimento e areia. Seu processo produtivo gera uma considerável emissão de dióxido de carbono na atmosfera, além de causar grande impacto ambiental na região de extração da areia. Esse é um dos motivos pela qual a argamassa polimérica vem sendo cada vez mais reconhecida como uma opção sustentável.

[infográfico] 10 razões para escolher o Tijolo Cerâmico | Baixar Grátis | Cerâmica Lorenzetti

Existem diversos tipos de argamassas poliméricas no mercado da construção civil, e elas podem ser encontradas com outros nomes e funções mais específicas como cimentos poliméricos, cristalizantes, bloqueadores hidráulicos e argamassas de secagem rápida com aditivos especiais.

Para aplicação do produto é imprescindível a contratação de profissionais especializados na execução desse tipo de serviço. Mas, o processo de compra e a gestão dos materiais que serão utilizados também são de extrema importância, pois são eles que garantirão a execução do projeto de forma tranquila e com resultado satisfatório.

Para não errar na hora de construir ou reformar, confira as dicas para escolher os melhores materiais para a sua construção. Clique aqui!